Avanço do Atacarejo no RS foi tema do MenuPOA

O assunto proposto nesta terça-feira (11/07) para o MenuPOA, tradicional evento realizado pela Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA), foi: “Atacarejo: O modelo que caiu no gosto dos gaúchos”. O encontro reuniu especialistas da área de varejo para conversar sobre esse modelo que cresce em Porto Alegre, Região Metropolitana e pelo interior do Estado. A mediação foi realizada pela presidente da ACPA, Suzana Vellinho Englert com participação especial da jornalista, Patrícia Comunello, colunista do Minuto Varejo, do Jornal do Comércio.

 

O evento aconteceu durante reunião-almoço na sede da ACPA, o Palácio do Comércio e teve a participação online do ex-presidente do Atacadão e fundador da Associação Brasileira de Atacadistas de Auto Serviço José Roberto Meister Mussnich direto de Lisboa, em Portugal. Mussnich deu início esclarecendo que o nome “atacarejo” foi criado no Brasil no ano de 2003. “Dados da Nielsen confirmam que temos 70% de penetração nos lares brasileiros. Esse resultado é impressionante se considerarmos que não temos 20 anos desse modelo em atividade”, destacou.

 

O presidente da Associação Gaúcha de Supermercados e vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados, Antônio Cesa Longo, afirmou que “o gosto do gaúcho é o gosto do bolso”. Longo enfatizou que o consumidor está atento à proposta do modelo. “Não dá só para colocar o nome atacarejo na fachada. É preciso praticar o que se propõe”, complementou.

 

Para o diretor-presidente do Grupo IMEC – IMEC   Supermercados, Desco Super&Atacado, Eneo Karkuchinski, o modelo caiu no gosto do consumidor gaúcho. Segundo Karkuchinski, é possível praticar preço, pois o custo da operação é mais baixo. ”Inflar o mix de produtos não é o caminho. Não queremos competir com o supermercado”, explicou.

 

A questão tributária também foi pauta no evento. Os participantes concordaram que, se a legislação tributária fosse simplificada, ajudaria muito a concorrência com outros estados e com investidores do exterior. Para Mussnich, as diferentes regras dificultam a concorrência justa.

 

Outro tópico da pauta foi a Inteligência Artificial (IA). Karkuchinski falou sobre a presença da IA nos negócios. “Está muito presente no controle de eficiente de custos e no desenvolvimento de campanhas dirigidas ao consumidor, além do controle de estoque, que está diretamente ligado à eficiência de custos”. Para Longo, o setor é munido de muitas tecnologias que auxiliam no desenvolvimento do negócio, mas a gestão e as pessoas ainda são fundamentais. “A inteligência artificial não colocar etiqueta na prateleira e não atrai consumidor. É preciso fazer o básico bem feito”. Mussnich entende que a IA complementa o funcionamento do que já é executado e agrega no andamento dos processos.

 

Em suas considerações finais, os palestrantes agradeceram o convite para o MenuPOA e elogiaram a escolha do tema. “Parabéns a ACPA pela proposta e por resolver e debater os problemas locais, em casa”, declarou Longo.

 

O evento pode conferido na integra através do canal da ACPA no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=WIfQ9Q2BSAo